Header Ads

Image and video hosting by TinyPic
  • Breaking News

    No rádio, Aécio e Marina atacam gestão da Petrobras; Dilma defende o pré-sal

    Na propaganda eleitoral desta terça-feira (9) no rádio, os candidatos à Presidência da República Aécio Neves (PSDB) e Marina Silva (PSB) atacaram a gestão da Petrobras e fizeram referência ao suposto esquema de propina na estatal, denunciado pelo ex-diretor de Refino e Abastecimento, Paulo Roberto Costal. Em seu programa, a presidente Dilma Roussef, candidata à reeleição pelo PT, defendeu os investimentos no pré-sal, um dos carros-chefes da empresa, e disse que os recursos gerados vão garantir o futuro do país.

    A primeira propaganda a ir ao ar nesta terça foi a de Aécio Neves. O candidato abriu o programa dizendo que denunciou no ano passado as "irresponsabilidades" na Petrobras e afirmou que "não dá mais para aguentar" as denúncias de corrupção no governo petista.

    "Hoje eu quero expressar aqui a minha indignação com muita coisa que vem acontecendo no Brasil nos últimos anos [...] No ano passado, quando denunciei as irresponsabilidades que vêm acontecendo na Petrobras, o governo disse: 'ele quer denegrir a imagem da empresa'. Pois bem, o seu principal diretor, indicado pelo PT, denuncia que existe uma organização criminosa atuando no seio da maior empresa brasileira. Não dá mais para aguentar e achar que isso é normal, que é razoável", afirmou durante o horário eleitoral.

    O candidato tucano criticou ainda o anúncio feito pela presidente Dilma de que, se for reeleita, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, não continuará à frente da pasta. Aécio disse em seu programa que a troca é motivada pelo "medo de perder a eleição".

    "Agora que está com medo de perder a eleição, a Dilma diz que vai trocar o ministro da fazenda. Ou seja, quando os empregos e os salários dos brasileiros estão em risco, ninguém no governo se mexe. Agora, quando são os empregos e os salários deles [governo], aí prometem mudar tudo. Só que trocar ministro já não resolve. O que nós precisamos é trocar um governo que fracassou", completou Aécio.

    Dilma Roussef
    Em seguida ao programa de Aécio, começou o da presidente Dilma. ELa voltou a criticar Marina, dizendo que a ex-senadora "é contra o pré-sal". Para Dilma, ser contra o pré-sal é o mesmo "que ser contra o Brasil". Um dos locutores do programa da presidente afirmou durante o horário eleitoral que o governo federal garantiu 75% dos recursos do pré-sal serão investidos na educação e 25% na saúde.

    "O petróleo do pré-sal é o centro de uma nova estratégia de desenvolvimento à medida em que sua enorme produção for se transformando em mais qualidade para a saúde e para a educação. [...] Por isso vou lutar contra qualquer tentativa de atingir o pré-sal e a Petrobras", disse Dilma.

    Dilma também criticou as propostas para a economia de Marina. Para a candidata do PT, Marina "chega a dar passos ainda mais atrasados que os tucanos" ao propor a autonomia do Banco Central e uma "menor atuação" dos bancos públicos na economia.

    "Isso traria juros mais altos, recessão e forte diminuição de crédito. [...] Eu conheço Marina Silva e posso dizer que não é uma pessoa má-intecionada mas é uma candidata com visões profundamente enganadas", ponderou a presidente.

    Marina Silva
    A candidata do PSB também aproveitou o horário eleitoral para falar sobre as denúncias de corrupção na Petrobras. A propaganda do partido socialista começou com um depoimento de Beto Albuquerque, candidato a vice na chapa do PSB. Em sua fala, Albuquerque afirma que o governo atual está "transformando" a Petrobras em um "caso de polícia e de corrupção".

    "Não tem cabimento a propaganda do PT dizer que alguém no Brasil esteja contra o pré-sal. Quem está pondo o pré-sal em perigo é o governo atual, que está desvalorizando a Petrobras e transformando a empresa num caso de polícia e de corrupção", disse o deputado federal.

    Logo após o depoimento de Beto Albuquerque, Marina Silva falou sobre o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb), divulgado pelo Ministério da Educação na última semana. De acordo com o estudo, o Brasil superou as metas na educação propostas MEC no ciclo inicial do ensino fundamental (de 1º ao 5º ano), mas ficou abaixo da meta projetada no ciclo final do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e no ensino médio. Segundo Marina, entre os estados que apresentaram melhora no índice de educação, "quatro são governados pelo PSB".

    "No meu governo os recursos do pré-sal vão ser usados para a educação e para a saúde, não para a corrupção", completou Marina Silva. 


    Fonte: G1

    Post Top Ad

    Image and video hosting by TinyPic

    Post Bottom Ad