Header Ads

Image and video hosting by TinyPic
  • Breaking News

    Como uma confusão de tradução exagerou na melhora de Michael Schumacher

    Um erro de tradução em uma entrevista dada por Jean Todt, ex-chefe da equipe Ferrari e atual presidente da FIA, fez com que o mundo do automobilismo acreditasse que no atual estágio de sua recuperação o alemão Michael Schumacher poderia ter "uma vida relativamente normal dentro de pouco tempo". Infelizmente não é verdade. O UOL Esporte repercutiu a declaração errada nesta terça-feira. Após a descoberta do erro, a equipe do site corrigiu a matéria e produziu uma errata, que pode ser lida aqui.

    O que aconteceu de fato: Todt deu entrevista no final de semana a um dos canais do Grupo RTL, dias após se reunir com a família do ex-piloto de equipes como Benetton, Ferrari e Mercedes. Na entrevista, disse que, à medida em que o tempo passava, Schumacher fazia "progressos em relação à gravidade da sua lesão", embora ainda houvesse um longo caminho pela frente.

    Na frase que gerou toda a confusão, Todt disse: "espero que as coisas melhorem". O dirigente afirmou torcer ainda para que seu ex-piloto pudesse levar "uma vida relativamente normal" em um curto período de tempo.

    A declaração chegou à imprensa alemã, que, segundo o PitPass (site especializado em automobilismo), originou o erro de tradução. O jornal Der Spiegel dizia: "amigo Todt anuncia 'vida normal' para Schumacher". Já a versão online da revista Focus trazia a manchete "Schumacher vai 'viver uma vida normal'".

    Desta forma, quando a declaração distorcida chegou aos jornais britânicos e espanhóis, ganhou o mundo. "Michael Schumacher 'poderá viver uma vida relativamente normal', diz ex-chefe da Ferrari", destacava o Daily Mail. "Schumacher caminha para uma 'vida relativamente normal', diz ex-chefe Todt", reforçava o Daily Mirror.

    Publicações como o Mundo Deportivo, Daily Telegraph, o The Guardian e o Times também repercutiram erroneamente o fato. O UOL Esporte e outros sites brasileiros passaram a história adiante, em uma bola de neve mundial.
    A essa altura, a confusão já havia chegado a Sabine Kehm, porta-voz de Schumacher e provavelmente a fonte mais confiável para dar declarações a respeito das condições do alemão. Sabine não se pronunciou oficialmente, mas segundo o PitPass, disse que "as declarações atribuídas a Todt não foram o que ele falou".

    "Embora ninguém deseje diminuir as esperanças das pessoas, é vital checar com a porta-voz de Michael, que permanece a única fonte oficial de informação a respeito do progresso do alemão", orienta o site. "Como no caso de Jules Bianchi, queremos ouvir boas notícias, mas elas têm que ser embasadas e corretas."

    Uol

    Nenhum comentário

    Comente, opine com responsabilidade, violação dos termos não serão aceitos. Leia nossa Política de Privacidade.

    Post Top Ad

    Image and video hosting by TinyPic

    Post Bottom Ad