Header Ads

Image and video hosting by TinyPic
  • Breaking News

    Mandante da chacina das Cajazeiras,preso pela Polícia Civil,já era suspeito de "comprar" a liberdade por 150 mil


    A Secretaria da Segurança anunciou detalhes do envolvimento de cinco pessoas presas por participação na Chacina de Cajazeiras. O homem suspeito de ser um dos mandantes, preso na segunda-feira (19) em condomínio de luxo do bairro Cocó, em Fortaleza, também é citado em investigação da Polícia Federal sobre a venda de decisões judiciais no Ceará.

    O acusado já teria saído da prisão anteriormente por força de um alvará de soltura supostamente comprado por R$ 150 mil. Ele estava solto com monitoramento eletrônico. As informações são do Jornal Jangadeiro, da TV Jangadeiro/SBT.

    Deijair de Souza Silva, apontado como mandante da Chacina de Cajazeiras, teria saído de um dos presídios da Grande Fortaleza beneficiado por um esquema de corrupção investigado pela Polícia Federal.

    Alvará de soltura

    Em 7 de julho de 2013, a Justiça do Ceará expediu um alvará de soltura para que Deijair deixasse a CPPL 1, em Itaitinga. A decisão foi assinada pelo desembargador Carlos Feitosa. O magistrado é um dos investigados na Operação Expressão 150, da Polícia Federal, que apura uma suposta rede de venda de decisões judiciais.

    Deijair havia sido preso pela própria Polícia Federal em março de 2013, acusado de tráfico de drogas. No flagrante, nas proximidades do Aeroporto de Fortaleza, com cerca de 100 quilos de cocaína.

    R$ 150 mil

    Já em julho, o monitoramento telefônico da PF indicou que Deijair e outros dois presos, Paulo Diego da Silva Araújo e Tiago Costa de Araújo, teriam comprado a própria liberdade por R$ 150 mil, cada um. Uma escuta telefônica à qual a TV Jangadeiro teve acesso mostra um trecho final da negociação. (veja no vídeo abaixo).

    Prisão e apreensão

    Na última segunda-feira (19), foram apreendidos com Deijair, em um apartamento do bairro Cocó, dois carros de luxo, um deles blindado, comprovante de uma conta com R$ 130 mil em nome da tia e uma arma incomum no Ceará, que pode ter sido utilizada na Chacina das Cajazeiras.

    Outro suspeito de ser o mandante da chacina é Noé de Paula Moreira, que já estava preso. Ele é tido como conselheiro da facção criminosa responsável pelo crime.

    Ana Karine Silva Aquino, conhecida como “Nega do Pezão”, seria uma fornecedora de munições de diversos calibres e teria entregado o material para a execução da chacina. Aiala Cavalcante nega participação no tiroteio, mas admite ter incendiado o veículo usado na ação para ocultar provas. Já Renan Gabriel da Silva, o Biel, que foi ferido em uma troca de tiros com a polícia, admitiu ter participado do crime diretamente.

    Até agora, 10 pessoas foram presas por participação direta ou indireta na Chacina das Cajazeiras.
    Tribuna do Ceará

    Nenhum comentário

    Comente, opine com responsabilidade, violação dos termos não serão aceitos. Leia nossa Política de Privacidade.

    Post Top Ad

    Image and video hosting by TinyPic

    Post Bottom Ad