A grandiosidade da Companhia de Dança Deborah Colker

Em 1994 a carioca Deborah Colker fundou a companhia que leva seu nome. Reconhecida internacionalmente, recebeu em 2001 o Laurence Olivier Aw...


Em 1994 a carioca Deborah Colker fundou a companhia que leva seu nome. Reconhecida internacionalmente, recebeu em 2001 o Laurence Olivier Award na categoria Oustanding Achievement in Dance (realização mais notável em dança). Também se destacou em desfile das escolas de Samba do Rio de Janeiro, assinando as coreografias das comissões de frente de grandes agremiações, como Mangueira, Unidos do Viradouro e Imperatriz Leopoldinense. Conheça a seguir dois de seus espetáculos mais famosos.

Foi a diretora artística da cerimônia de abertura das Olimpíadas Rio 2016
 
A cerimônia de abertura das Olimpíadas do Rio foi marcada por grandes símbolos e nomes da cultura brasileira. Deborah teve a responsabilidade de comandar 6 mil pessoas, gente do teatro e da dança, de vários estilos, bailarinos profissionais e voluntários.
 
A festa começou grandiosa e de extremo bom gosto. Sem clichês, mas com fortes elementos representativos da nossa cultura, como a chegada dos colonizadores em suas caravelas, seguidos pelos escravos negros. No grande palco do gramado, a história do Brasil foi contada com os índios, os portugueses, os imigrantes e a mestiçagem cultural do país. Nossa música foi representada por funk, samba e todas as bossas.
 
Surpreendendo a todos, o espetáculo abriu um espaço emocionante para uma mensagem ecológica. Todo mundo imaginava que a abertura da Olimpíada tivesse espontaneidade e criatividade. Mas a intensidade das mensagens de tolerância à diversidade e de respeito ao ambiente em meio às crises do mundo surpreenderam e emocionaram.
 
A abertura contou com a participação de vários artistas, entre eles Zeca Pagodinho, Marcelo D2, Gisele Bündchen, Daniel Jobim, Jorge Ben Jor, Fernanda Montenegro, a atriz britânica Judi Dench, Anitta, Caetano Veloso e Gilberto Gil. Além dos atletas Gustavo Kuerten, Hortênsia e Vanderlei Cordeiro de Lima, que acendeu a pira olímpica

Incluindo 12 baterias de escolas de samba, a apresentação recebeu muitos elogios nas redes sociais e da imprensa internacional. “Espetacular”, resumiu um dos jornalistas do americano New York Times. A rede BBC destacou a reação positiva de seus leitores nas redes sociais e elogiou a cerimônia com um tuíte em sua conta no microblog: “Não sei quanto a vocês, mas nós estamos impressionados até agora pela #CerimoniadeAbertura da #Rio2016. Uau!”

Espetáculo para o Cirque de Soleil: Ovo, uma viagem pelo mundo dos insetos
 
Em 2009, Deborah foi a primeira mulher a dirigir um espetáculo do Cirque du Soleil, intitulado "Ovo". A coreógrafa venceu o desafio de deixar sua marca pessoal numa companhia com mais de 25 anos de estrada, internacionalmente conhecida por ter revolucionado a linguagem dos espetáculos circenses.

A marca de Deborah se fez pela reinvenção da acrobacia em forma de dança, da dança em forma de mímica, da mímica em forma de circo, e do circo em forma de ginástica quase olímpica. O objetivo do espetáculo era falar de meio ambiente e foi composto por 53 artistas. A coreógrafa mergulhou nesse universo de mosquitos, aranhas, gafanhotos e baratas, que costuma ser desprezado e temido por seres humanos, como quem embarca numa fantasia de ritmos de vida, movimentos e sons.

As imagens impressionam os telespectadores: uma floresta de insetos, flores gigantes, teias elásticas, cores fortes e uma sequência de ritmos muito brasileiros, do samba ao forró, do funk carioca ao baião e ao carimbó, que faz a plateia dançar. Mais ainda: transformou ginastas em bailarinos, que logo viravam acrobatas do mais famoso circo do mundo.

Blog de Sobral

Related

cultura 8789316210301059633

Postar um comentário

Comente, opine com responsabilidade, violação dos termos não serão aceitos. Leia nossa Política de Privacidade.

emo-but-icon

Siga-nos

últimas

Comentários

TEMPO

Acorda Brasil

Uma Nação consciente ,
É o maior medo de um Governo mal intencionado.

Connect Us

item