Header Ads

Image and video hosting by TinyPic
  • Breaking News

    Brasil goleia Japão desfalcado com quatro de Neymar e engata a quarta com Dunga

    O time reserva Japão não foi capaz de frear o bom início de Dunga no comando da seleção brasileira. Nesta terça-feira, em Cingapura, o Brasil contou com quatro gols de Neymar para vencer por 4 a 0 e garantir os 100% de aproveitamento em quatro jogos desde o retorno do treinador, que assumiu a equipe após o fiasco liderado por Luiz Felipe Scolari na Copa do Mundo. Com seus gols, Neymar se tornou o quinto maior artilheiro da história da seleção: 40 gols.

    Com 10 dos 11 titulares que venceram a Argentina no sábado (David Luiz, contundido, deu lugar a Gil), o Brasil teve o controle da partida em todo o tempo e terminou mais uma partida sem sofrer gols (não fora vazado tambémcontra Colômbia, Equador e Argentina). As jogadas com transição rápida da defesa para o ataque e as tabelas entre os jogadores de frente (Oscar, Willian, Neymar e Tardelli) foram destaque mais uma vez. Dunga adota o mesmo estilo de jogo que empregou quando dirigiu a seleção entre 2006 e 2010. Mas nesta terça ele teve seu trabalho facilitado.

    O Japão não contou com alguns de seus principais jogadores: Kagawa, do Borussia Dortmund, Uchida, do Schalke 04 e Hiroki Sakai, do Hannover, não estiveram nem entre os relacionados. Honda, do Milan, e Nagatomo, da Inter de Milão, começaram o jogo entre os reservas.

    Se com sua força máxima o Japão já não representaria grande ameaça ao Brasil, sem seus principais nomes a partida foi mera exibição de Neymar e Diego Tardelli, que estão demonstrando ótimo entrosamento neste início de parceria no ataque da seleção.

    O gol que abriu o placar, aos 17 minutos, saiu de uma troca de posição dos dois em que Tardelli saiu da área, deixou espaço para Neymar penetrar e o lançou. O capitão ainda driblou o goleiro antes de marcar.

    No primeiro tempo, Japão chegou com perigo só aos 23 do primeiro tempo em chute de Kobayashi por cima do gol de Jefferson. Aos 28, o Japão reclamou de pênalti em chute desviado com o braço por Luiz Gustavo na linha da grande área. O árbitro de Cingapura não anotou a infração.

    Dunga usou o segundo tempo para observar três jogadores que ainda não tinham muitos minutos na seleção principal: Mário Fernandes entrou na lateral-direita no lugar de Danilo, Éverton Ribeiro substituiu Willian e Philippe Coutinho na vaga de Oscar.

    E a parceria entre Neymar e Coutinho, que vem desde a seleção sub-15 do Brasil, apareceu logo aos dois minutos do segundo tempo. Neymar se posicionou entre os zagueiros na intermediária e foi lançado pelo meia do Liverpool. Cara a cara com o goleiro, o jogador do Barcelona marcou seu 38º gol em 58 jogos pela seleção. Ele já é o sexto maior artilheiro da história seleção e está um atrás de Bebeto, quinto com 39.

    Ao longo da segunda etapa, Dunga ainda deu lugar a Kaká, Robinho e Souza, que fez sua estreia com a seleção. Os três entraram muito bem nos lugares de Elias, Tardelli e Luiz Gustavo. O terceiro gol de saiu após rebote de chute de Coutinho, aos 31. Aos 35, após cruzamento de Kaká, Neymar marcou de cabeça.

    A seleção brasileira volta a campo no dia 12 de novembro, contra a Turquia, em Istambul. No dia 19 do mesmo mês enfrenta a Áustria em Viena. São os dois últimos jogos da equipe em 2014. A convocação para os dois jogos será no dia 23 de outubro.

    FICHA TÉCNICA: BRASIL 4 x 0 JAPÃO

    Local: Estádio Nacional de Cingapura

    Horário: 7h45 (de Brasília)

    Árbitro: Ahmad A’Qashah (CIN

    Gols: Neymar aos 17 minutos do primeiro tempo e aos 2, 31 e 35 minutos do segundo tempo.

    Escalações:

    Brasil: Jefferson; Danilo (Mário Fernandes, no intervalo), Miranda, Gil e Filipe Luís; Luiz Gustavo (Souza, aos 27 do 2º tempo), Elias (Kaká, aos 30 do 2º tempo), Oscar (Philippe Coutinho, no intervalo) e Willian (Éverton Ribeiro, no intervalo); Neymar e Diego Tardelli (Robinho, aos 19 do 2º tempo). Técnico: Dunga

    Japão: Kawashima; Gotoku Sakai, Shiotani e Kosuke Ota; Morishige, Morioka (Honda, no intervalo), Shibasaki, Junya Tanaka (Hosogai, aos 25 do 2º tempo) e Taguchi; Okazaki e Kobayashi (Muto, aos 6 do 2º tempo). Técnico: Javier Aguirre

    IG

    Nenhum comentário

    Comente, opine com responsabilidade, violação dos termos não serão aceitos. Leia nossa Política de Privacidade.

    Post Top Ad

    Image and video hosting by TinyPic

    Post Bottom Ad