Slider[Style1]

Style2

Style3[OneLeft]

Style2[OneRight]

Style4

Style5[ImagesOnly]

Style 4

Ceará pode vacinar 509.957 crianças contra o sarampo

Ceará e Pernambuco tiveram a campanha antissarampo antecipada, devido a casos desde 2013. Os dias 8 e 23 serão de mobilização nacional

O Ministério da Saúde anunciou ontem que o Ceará vai receber 31.100 doses de vacinas contra o sarampo para a imunização de 509.957 crianças entre um até cinco anos de idade. A Campanha Nacional de Vacinação, envolvendo ainda a antipólio, será iniciada no próximo dia 8 de novembro e a meta é atingir a cobertura vacinal de 95% do público-alvo.

Neste ano, o Ceará registrou surtos da doença no início do ano e, por isso, já havia recebido a campanha de vacinação. Porém, conforme o Ministério da Saúde, o Estado terá, novamente, a imunização com a vacina tríplice viral, destinada à proteção contra o sarampo, a papeira e a rubéola. As reações da tríplice são consideradas simples.

No total, serão distribuídos cerca de 12,5 milhões de tríplice em todas as capitais brasileiras e no Distrito Federal. A estimativa é promover a imunização de 10,9 milhões de crianças em todo o Brasil. O Dia D de Mobilização Nacional, que ocorre no primeiro dia de campanha, será repetido a 22 de novembro, para que a meta seja alcançada.

Os mais recentes casos de contágio autóctone de sarampo no Brasil ocorreram em 2000. Desde então, os casos registrados foram importados ou relacionados à importação. Em 2013 e 2014, foram registrados casos importados no País, com a concentração em Pernambuco e no Ceará. No mundo, em 2014, foram constatadas 160 mil ocorrências da doença e com o fluxo de turismo e comércio entre os países o risco de contaminação se eleva.

Serão entregues 17,8 milhões de doses orais da antipólio. O Ministério da Saúde, no entanto, recomenda o imunizante injetável para crianças acima de seis meses que estão com o esquema de vacinação atrasado. O secretário de Vigilância em Saúde do ministério, Jarbas Barbosa, destacou que os imunizantes são seguros e recomendados pela Organização Mundial da Saúde (OMS).

Mais de 100 mil postos de saúde, 350 mil profissionais e 42 mil veículos terrestres, marítimos e fluviais devem integrar a campanha este ano. O Brasil é considerado livre da poliomielite desde 1990. Em 1994, recebeu da Organização Pan-americana de Saúde (Opas) a certificação de área livre de circulação do vírus. (das agências de notícias)

Fonte: O Povo

Cid diz que Ceará fez tudo que podia pela Refinaria

Governador disse não ter sido comunicado sobre possível decisão de adiamento do empreendimento no Ceará. 

Presidente Dilma Rousseff (PT) afirma ao O POVO que projeto ficará pronto e começará a operar em 2019

O Governo do Ceará já fez tudo que poderia para a instalação da Refinaria Premium II, em São Gonçalo do Amarante (60,1 km), conforme o governador Cid Gomes (Pros). “No que dependia de providências do Estado, todas elas estão tomadas. A área livre e desimpedida entregue à Petrobras”, ressalta.

Tanto que as ações para a aquisição de área para a comunidade da reserva indígena Taba dos Anacés, em Caucaia, um dos entraves para a liberação do terreno da Refinaria, já foram concluídas. Cid, assim como os órgãos do Estado, não foi formalmente comunicado sobre o possível adiamento do empreendimento pela Petrobras. “Fico surpreso em ter essa notícia e só posso comentar realmente quando tiver uma posição formal”, diz, na inauguração do shopping RioMar Fortaleza.

A Refinaria Premium I, do Maranhão, também tem adiamento cogitado. Isso segundo uma fonte da agência Reuters “com conhecimento direto do assunto” .

Apesar da notícia, os empreendimentos constam no Plano de Negócios e Gestão da Petrobras 2014-2018, com investimentos de US$ 220,6 bilhões para o período. Enquanto a informação não se oficializa ao Governo, a Agência de Desenvolvimento Econômico do Estado do Ceará (Adece) diz que o cronograma de obras para atender a Petrobras está sendo seguindo, inclusive com novo píer no Porto do Pecém, que auxiliará o transporte de equipamentos para a construção da Premium II.

Estado e Capital

Na inauguração do RioMar, o governador disse que o Estado tem desafios para enfrentar, mas que irá crescer. “Eu não tenho dúvidas que o Ceará está avançando no sentido de se transformar num Estado de economia importante para o Brasil”, diz.

E o prefeito de Fortaleza, Roberto Cláudio (Pros), também no evento, disse que a Cidade passou por uma série de obras que já foram entregues. Para ele, a reeleição de Dilma e Camilo garante a continuidade desses projetos. “Para a gente é muito bom ter a possibilidade de manter a parceria administrativa e política desde o começo do ano passado”, complementa.

Fonte: O Povo

Aeroporto de Fortaleza medirá temperatura de viajantes vindos de Serra Leoa, Guiné e Libéria

A temperatura será medida "de forma não invasiva", por meio de uma pistola
O Brasil passou, nesta sexta-feira (31), a medir a temperatura de passageiros que desembarcam no Brasil e que estiveram, nos 21 dias anteriores, na Libéria, Guiné e em Serra Leoa, como medida adicional de controle contra o vírus ebola. A nova medida deverá ser implementada até o final de novembro nos aeroportos que recebem passageiros dos países afetados – além de Guarulhos, Galeão, Viracopos e os aeroportos de Brasília, Fortaleza e Salvador.

Ao mesmo tempo, esses passageiros receberão informações sobre os sintomas do ebola e a orientação para procurar um serviço de saúde imediatamente no caso do aparecimento deles.

Essa ação teve início às 5h desta sexta, em Guarulhos, aeroporto internacional que recebeu 78,4% dos passageiros vindos desses três países em 2014. Apenas 529 pessoas vindas desses países desembarcaram no Brasil este ano. Como comparação, cerca de 40 mil pessoas desembarcam, por dia, em Guarulhos.

Medição de temperatura

Um cartaz de aviso vai orientar esses passageiros a se identificarem ao oficial da imigração no momento do controle dos passaportes. A busca dessa informação também será feita pela pessoa que avalia o passaporte.

A temperatura será medida "de forma não invasiva", por meio de uma pistola. Ainda será feita uma entrevista e entregue um material com informações sobre o atendimento gratuito na rede pública de saúde -- e, nesse material, estará escrita a data limite de incubação da doença, o que será relevante caso a pessoa procure o sistema de saúde no futuro.

A pessoa será orientada a buscar o serviço de saúde caso apresente algum dos sintomas do ebola até o final do período de incubação -- de até 21 dias.

Apenas após esse procedimento, o passaporte da pessoa será devolvido, junto com a permissão de entrada no território nacional. O Ministério da Saúde afirma que não vai restringir viagens, apenas incluir o monitoramento e a distribuição de informações na chegada aos aeroportos. Não há voo direto para o Brasil de nenhum dos três países afetados pela doença.

Informação

Jarbas Barbosa, secretário de vigilância em saúde do ministério, afirma que a medida mais importante é informar às pessoas vindas dos países africanos afetados pelo ebola que, no Brasil, há atendimento público de saúde e que os serviços devem ser procurados imediatamente no caso do aparecimento de algum sintoma.
O ministro Arthur Chioro (Saúde) voltou a dizer que é muito baixa a possibilidade de uma pessoa infectada com o ebola chegar ao Brasil. "Estamos tentando desenvolver uma abordagem que estimula que uma pessoa que vem desses países com sintomas possa procurar o serviço de saúde e já chegar com uma ficha de informação que reporta ao profissional da saúde se está no período de incubação."

Até aqui, o governo brasileiro não havia estabelecido nenhuma forma de busca ativa de passageiros vindos dos países afetados pelo surto de ebola. Nos aeroportos do país, as equipes de vigilância vinham sendo acionadas quando algum passageiro de voo internacional apresentava sintomas – como febre e vômitos. Nesses casos, a aeronave estaciona em área remota e o viajante sob suspeita é retirado e encaminhado para o hospital de referência.

Antes disso, de toda forma, antes de embarcarem nos países africanos afetados pela doença, os passageiros já passam por uma entrevista em que se questiona a presença de sintomas ou se a pessoa teve contato com pacientes doente pelo ebola.

Fonte: Diário do Nordeste

Seguir por Email