Header Ads

Image and video hosting by TinyPic
  • Breaking News

    Paula Fernandes nega veto de Roberto Carlos para dueto e rixa com Leonardo

    É comum, quando um artista lança um DVD e um CD sob o mesmo título, que o registro audiovisual tenha um repertório mais extenso do que o do disco, fora os extras. No caso de “Encontros pelo caminho”, de Paula Fernandes, acontece o contrário: o CD, duplo, traz 21 faixas, enquanto o DVD, só 17 (preço médio de cada um: R$ 30).

    — Algumas canções não ganharam registro em vídeo porque não conseguimos conciliar minha agenda com a dos outros artistas a tempo do lançamento — explica a cantora.

    É o caso de “Harmonia do amor”, com Zé Ramalho; “Highway don’t care”, com Tim McGraw; “Over the rainbown”, com Michael Bolton; “Humanos a Marte”, com Chayanne; e “Brazil”, com Frank Sinatra, que só estão no CD:

    — No caso do Sinatra, nem daria para gravar (o cantor morreu em 1998, e seu áudio original de 1958 foi mixado com o de Paula para a Copa).

    Mas o que realmente causa estranheza a quem acompanha a carreira da cantora é a ausência de Roberto Carlos e de Taylor Swift no lançamento, já que os duetos com eles foram tão marcantes.

    — Eles só não entraram porque a gravadora não liberou, não foi uma questão de artista com artista — diz ela, amenizando a polêmica de um possível veto do Rei: — Muito mais gente querida ficou de fora... Quem sabe não faço um volume dois?

    A suposta rixa com Leonardo, depois que a cantora deixou o escritório do sertanejo e montou o seu próprio, ela jura que também nunca existiu. Tanto que o encontro dos dois cantando “Índia” no primeiro DVD de Paula foi resgatado para esse novo trabalho.

    — Houve uma distorção das informações na época em que eu saí da Talismã e montei a Jeito de Mato. Foi algo natural, eu segui os mesmos passos dele, que um dia também resolveu criar seu próprio escritório. Nunca tive problema com o Leonardo. Foi tudo uma questão burocrática entre advogados, simplesmente. Não aconteceu nada entre os dois artistas, meu carinho por ele é inabalável — esclarece Paula.
     
    Foto: Guto Costa / Divulgação


    “Encontros pelo caminho” também traz homenagens póstumas a dois grandes artistas brasileiros: Dominguinhos (em “Caminhoneiro”) e Hebe Camargo (em “Tocando em frente”).

    — Tenho saudade da Hebe como se a gente tivesse convivido muito. E Dominguinhos era um ser especial, de luz — comenta a cantora, que recheou o novo disco de participações internacionais, com músicas em inglês e em espanhol: — Só que eu canto em português. Fiz cursos de línguas e continuo me aprimorando, mas ainda não tenho domínio total. Estou a caminho disso.

    Uma carreira internacional, no entanto, não é meta para Paula Fernandes. Ao menos por enquanto:

    — Não estou trabalhando especificamente para isso, mas se acontecer será muito bem-vindo. Nunca vou abandonar o Brasil! Tem tantas cidades que eu ainda não conheço, tantos lugares aqui para levar o meu show!

    Fã assumida do rock ‘n’ roll do Metallica, a cantora pop-sertaneja se diz empolgada também com a vinda do Foo Fighters ao Brasil no início do ano que vem:

    — Eu sou muito eclética para música. Quem sabe não surge um novo dueto aí? Nada é impossível! O céu é o limite e eu estou preparando as asinhas... (risos)

    Extra Online

    Nenhum comentário

    Comente, opine com responsabilidade, violação dos termos não serão aceitos. Leia nossa Política de Privacidade.

    Post Top Ad

    Image and video hosting by TinyPic

    Post Bottom Ad